Locais UNESCO na Arábia Saudita

A Arábia Saudita será um dos países menos turísticos do mundo, pelo menos para a população mundial que não é muçulmana, porque para essas pessoas, a peregrinação aos locais sagrados de Medina e Meca é uma obrigação de vida.

Contudo, apesar das dificuldades para se obter um visto turístico, e da resistência do país aos visitantes ocidentais, não se pode dizer que a Arábia Saudita tenha pouco para oferecer. As suas praias, sobretudo na costa do Mar Vermelho, são fabulosas, mas podemos dar uma vista de olhos à lista de Património Mundial da Humanidade mantida pela UNESCO, que é sempre uma óptima forma de abarcar com um só olhar o melhor que um país tem para apresentar aos seus visitantes.

Existem cinco locais na lista actual, todos eles adicionados à lista desde 2008. Para além disso há mais nove lugares candidatos à inclusão.

Locais Património Mundial da Humanidade

Oásis de Al-Hahsa e Paisagem Cultural Envolvente

Localiza-se na parte leste do país e com cerca de dois milhões e meio de palmeiras é o maior oásis do mundo. Foram identificados doze pontos de interesse, que no seu conjunto constituem o local Património Mundial da Humanidade. Incluem-se nestes diversos castelos e fortalezas, alguns segmentos do próprio oásis, sítios arqueológicos, aldeias tradicionais, mercados, lagos e mesquitas. É, como o título indica, um universo cultural complexo, que se veio a constituir desde o Neolítico, e por onde passaram fugazmente os portugueses, que ocuparam a área no século XVI, e os Otomanos, expulsos em 1670.

O Oásis de Al-Hahsa foi inscrito na lista em 2018, ao abrigo dos critérios III, IV e V.

Sítio Arqueológico Al-Hijr

O sítio arqueológico Al-Hijr foi o primeiro local da Arábia Saudita a ser inscrito na lista, o que aconteceu em 2008, com base nos critérios II e III.

Era no passado conhecido como Hebra e a seguir a Petra, na actual Jordânia, foi a principal cidade da civilização Nabateia.

O seu elemento mais interessante são os túmulos, que datam do período compreendido entre o século I a.C. e o século I. Estes locais funerários foram escavados na rocha, assim como os monumentais pórticos ornamentais que marcam as suas entradas. São no total cento e onze túmulos, apesar de nem todos se encontrarem decorados.

Podem-se observar ali cerca de cinquenta inscrições anteriores ao período nabateu, assim como alguns exemplares de arte rupestre e vestígios do engenhoso sistema de distribuição de água dos nabateus.

A riqueza histórica do local foi acentuada pela sua posição geográfica, numa encruzilhada de antigas rotas de caravanas, que por ali passava entre a Ásia e as costas do Mediterrâneo. Note-se que apesar da cidade ter sido abandonada mesmo antes do início do período islâmico, a rota comercial manteve-se até à chegada do caminho-de-ferro, no início do século XX.

At-Turaif

Este local, localizado a algumas centenas de quilómetros a noroeste de Riade, foi fundado no século XVI e escolhido como primeira capital do reino saudita. A cidadela é um repositório de arquitectura Najdi, representando as técnicas de construção características do centro da Península Arábica, como a utilização de adobe em edifícios de maior porte e a aplicação de um sentido decorativo baseado em linhas geométricas.

Foram daqui que no século XVIII emanaram os ensinamentos do xeique Mohammad Bin Abdul Wahhab, nos quais se baseia o Wahhabismo, a vertente do Islão Sunita que é seguida pela maioria dos sauditas.

É verdade que algumas dos edifícios da cidadela se encontram em estado de ruína, mas de uma forma geral a preservação do local tem-se mantido e parecem existir condições para que assim se mantenha.

At-Turaif foi adicionado pela UNESCO à lista de Património Mundial da Humanidade em 2010, baseando-se a decisão nos critérios IV, V e VI.

Centro Histórico de Jeddah

Jeddah tem servido desde o século VII como ponto de ligação entre o mar Vermelho e a cidade de Meca e ainda hoje é por ali que entra uma boa parte dos peregrinos que se dirigem à cidade sagrada do Islão, seja por mar seja por via aérea.

Esta função foi moldando a cidade segundo influências multi-culturais, resultando numa combinação única no âmbito da Arábia Saudita. Hoje, podem-se ali observar alguns destes testemunhos, como as casas-torre, sendo o exemplo mais notável desta linha de construção a de Roshan, erigida no século XIX.

O centro histórico de Jeddah é composto por diversos elementos que contribuíram para a inclusão na lista da UNESCO, o que veio a acontecer em 2014: as muralhas da antiga cidade, mesquitas, mercados e palácios.

Arte Rupestre na Região de Hail

Nesta região, localizada na cordilheira de Jabel Umm Sinman, existe uma notável densidade de petróglifos. As inscrições terão sido efectuadas com martelos de pedra, usados pela população que ali se encontrava estabelecida em comunhão com um lago que existia junto ao sopé da cordilheira e que entretanto desapareceu.

Locais Candidatos à Inclusão na Lista de Património Mundial da Humanidade da UNESCO

A par com os cinco locais incluídos na lista de Património Mundial da Humanidade, existem nove candidatos com processos em curso.

  1. Darb Zubayda (Caminho dos Peregrinos de Kufa a Makkah) (2015)
  2. Caminho-de-Ferro de Hejaz (2015)
  3. Estrada da Peregrinação da Síria (2015)
  4. Estrada da Peregrinação do Egipto (2015)
  5. Cidade Pré-Islâmica de Al-Faw na Arábia Central (Qariah) (2015)
  6. Aldeia Histórica de Rijal Almaa na Região de Assir (2015)
  7. Aldeia Histórica Zee Ain na Região de Al-Baha (2015)
  8. Lugar de Arte Rupestre de Hima em Najran (2015)
  9. Oásis Histórico de Dûmat Al-Jandal na Região de Al-Jawf (2015)