Al Ula, maravilha histórica no deserto

Por razões muito especificas, a Arábia Saudita está a embarcar numa aposta económica diferente. O reino árabe quer desenvolver o turismo, o que permitirá que não dependa apenas de ganhos vindos do petróleo e gás.

Um dos lugares mais impressionantes para visitar a Arábia Saudita é sem dúvida à volta da província de Ula na Região de Medina, no noroeste da Arábia Saudita. Historicamente situada na rota do incenso, toda esta região conta com mais de 200.000 anos de história e os seus pontos de interesse estão agora abertos ao público. Com uma área do tamanho da Bélgica, Al Ula é acessível por via rodoviária ou aérea, com vôos três vezes por semana desde Jeddah e Riade. A província de Al Ula inclui ruínas que datam desde o ano 300 aC.

A capital desta província saudita, é a cidade saudita com o mesmo nome da província – Al Ula – e fica situada num vale espectacular cercado por falésias de arenito e palmeirais a perder de vista. É aqui que o Ministério de Turismo da Arábia Saudita quer focar o seu turismo arqueológico, e transformar Al Ula no El Dorado turístico do reino. O país, que sonha em mudar a sua imagem a nível internacional, quer atrair visitantes, e gostaria de fazer da Al Ula, um destino emblemático. E será muito fácil!

Datado da era pré-islâmica, Al Ula detém o primeiro local UNESCO na Arábia Saudita. Madain Saleh consiste em ser o maior local preservado da civilização do Reino Nabateu a sul da Jordânia. Em Madain Saleh, poderá explorar mais de 100 túmulos bem preservados com fachadas cortadas na rocha. Madain Saleh é um monumento ao ar livre de importância mundial.

Além de Madain Saleh, a cidade de Al Ula tem vários outros pontos de interesse. Esta manteve sua antiga cidadela, construída à 800 anos atrás. Há ainda a antiga cidade de Al Khuraybah e os impressionantes Túmulos dos Leões de Dedan.

Interessante: Documentos indicam que Al Ula foi visitada pelos viajantes muçulmanos famosos Ibne Battuta e Abdalcáder durante as suas viagens de peregrinação Hajj em direcção a Meca e Medina.


Onde fica Al Ula


Al Ula

  • Área: 2391 km2
  • População: 55.010 habitantes
  • Situa-se 200 km a sudoeste de Tayma e 400 km a noroeste de Medina.

Al Ula tem o potencial para ser um dos destinos arqueológicos mais importantes de todo o mundo. A Arábia Saudita está a colaborar com especialistas para desenvolver Al Ula turisticamente da melhor maneira possível.

Onde fica Al Ula

O que visitar em Al Ula


O que visitar em Al Ula
  1. Al Ula Heritage Village
  2. Forte Al-Faqir
  3. Al Ula Tantura
  4. Madain Saleh
  5. Mesquita da Rocha
  6. Al Khuraybah
  7. Mahlab al-Naqa
  8. Túmulos do Leão de Dedan
  9. Estação de Comboios Otomana
  10. Desfiladeiro Hajahwja
  11. Elephant Rock
  12. Face Rock
  13. Hand Rock
  14. Shaden Desert Resort
  15. Mahlib Al Naaqa

Mapa dos pontos de interesse


Navegue no mapa e vá explorando os locais clicando nos marcadores azuis.


Atracções e Monumentos


Madain Saleh


Madain Saleh
Madain Saleh

Na antiga cidade de Hegra hoje chamada Madain Saleh, a cerca de vinte quilómetros de distância do centro de Al Ula, encontramos os traços de civilizações antigas misteriosas como os lihyanitas, dadanitas e nabateus, que escavaram necrópoles na rocha.

Madain Saleh é de tirar o fôlego pela sua beleza e, em particular, pelas maravilhosas paisagens e locais construídos pelos nabateus – estes últimos também na origem do famoso local Petra na Jordânia. Madain Saleh é uma necrópole com um conjunto de túmulos que foram escavados na rocha.

O complexo arqueológico de Madain Saleh, classificado como Património Mundial da Humanidade, está localizado a aproximadamente 23 km a norte do centro de Al Ula e inclui um museu arqueológico e cultural dedicado à civilização nabateana.


Al Khuraybah (Dedan)


Al Khuraybah
Al Khuraybah

O complexo arqueológico de Al Khuraybah transporta-nos atrás no tempo, enquanto visitamos três áreas:

  1. a cidade de Dedan entre as duas montanhas,
  2. a bacia de pedra esculpida Mahlab al-Naqa,
  3. a necrólope dos Túmulos do Leão de Dedan.

A antiga cidade de Dedan foi a capital do reino árabe de Dedan e mais tarde a capital de Lihyan, que conseguiu governar a região. O reino de Dedan estendeu a sua soberania na região durante todo o século VII aC. Dedan também é um nome antigo para o oásis de Al Ula onde nos podemos perder pelo meio dos milhares de palmeiras. A partir de evidências arqueológicas das ruínas da cidade neste local, pode-se deduzir que a influência de Lihyan se estendeu do século VI até ao século II aC.

Dedan, na sua fase inicial, era um dos entrepostos de caravanas mais importantes do norte da Arábia. É mencionado na Bíblia Hebraica. Mais tarde, os lihyanitas tornaram-se inimigos dos nabateus. Os romanos invadiram os nabateus e tomaram o seu reino em 106 dC.

O Mahlab al-Naqa, é uma bacia de pedra esculpida do século VI aC. Provavelmente era uma bacia de purificação esculpida em frente a um templo Lihyanita. O nome significa “tigela de ordenha do camelo”, referindo-se a uma tradição local, sendo que a bacia costumava ser enchida com o leite do camelo do profeta Salé. Segundo a tradição islâmica, Salé nasceu nove gerações após Noé e o dilúvio e viveu nesta região. O diâmetro da bacia é de 3,75 metros e a profundidade é de 2,15 metros, com uma capacidade de cerca de 2400 litros. Três degraus foram cortados dentro da bacia no lado norte da cisterna para facilitar o acesso. Provavelmente foi construído para ser usado em rituais religiosos, pois está localizado ao lado de uma estrutura religiosa.

Os Túmulos do Leão de Dedan são dois nichos de sepulturas talhados em pedra, decorados com relevos de leões. No antigo oásis de Dedan, perto da cidade de Al-Ula, um reino floresceu desde pelo menos o século VI até o século II aC. Este reino desenvolveu a sua própria cultura, incluindo um idioma e alfabeto distintos, que resultaram numa mistura de tradições árabes e fortes influências dos impérios vizinhos..


Ad-Deerah


A Al Ula Heritage Village é a aldeia árabe original para a qual as pessoas do oásis se mudaram cerca de oito séculos atrás e habitaram até o século XX. Foi construída na parte mais alta do vale para evitar as inundações que podem ocorrer durante a estação chuvosa. No seu apogeu, a cidade continha mais de 1000 casas, construídas em adobe e adjacentes umas às outras, formando um muro ao redor da cidade para defender a população.


Elephant Rock


Elephant Rock
Elephant Rock

Quem aproveita para visitar Al-Ula não pode perder a Pedra do Elefante com 52 metros de altura, situada a 11 km a nordeste do centro da cidade. Esta formação rochosa natural que levou milhões de anos a ser esculpida pela Natureza, parece um elefante com uma tromba e está cercada por outras centenas de monólitos rochosos.


Forte Al-Faqir


Forte Al-Faqir Al Ula Arabia Saudita
Forte Al-Faqir

O Forte Al-Faqir é um forte do século XVIII situado na rota de peregrinação do Levante em um pequeno monte na parte sul da moderna Al Ula. O forte assume uma forma quadrada com torres redondas, três das quais estão em pé enquanto que a do sul foi completamente destruída.


Estação de Comboios Otomana


Esta estação de comboio abandonada está situada no centro da cidade de Al Ula junto ao Parque Al Mahash. A linha ferroviária do Hejaz foi uma linha de caminho de ferro que ligava Damasco na Síria até Medina na Arábia Saudita.


Alojamento em Al Ula


Booking.com


Alojamento na Arábia Saudita


Booking.com
Burj Rafal Hotel